EMPRÉSTIMOS NEGATIVADOS: ENTENDA COMO FUNCIONA EMPRÉSTIMOS PARA NEGATIVADOS

No Brasil cresce a cada dia o número de negativados.  O SPC e o SERASA – que são órgãos de proteção ao crédito – apontam que, mais de 30% dos adultos brasileiros estão inadimplentes. E como isso os empréstimos negativados crescem também

Estar com o chamado “nome sujo” traz muitas consequências pois, por ser considerado um mau pagador, o negativado passa a ter muitas restrições de crédito na praça, além claro, de todo constrangimento de ver muitas portas fechadas.

Tudo que se passa na cabeça de um endividado é como quitar suas dívidas e recuperar o nome na praça. E as soluções hoje para sair do vermelho são os empréstimos negativados.

Entenda como funciona o empréstimos negativados:

Hoje existem instituições que oferecem empréstimos negativados, mas não é tão simples como parece. Afinal de contas, devido o histórico de inadimplência, as instituições financeiras são bem cautelosas e, só dão acesso ao crédito com condições de juros bem mais altos (até o dobro) que em empréstimos normais.

As instituições financeiras trabalham com basicamente 3 tipos de empréstimos negativados:

  • Refinanciamento de Imóvel – onde seu imóvel já quitado é colocado como garantia do empréstimo;
  • Refinanciamento de Veículo – onde o seu veículo já quitado é colocado como garantia.
  • Empréstimo Consignado – o pagamento do empréstimo é vinculado á sua folha de pagamento (no caso de Servidor Público) ou ao seu benefício (Aposentados e Pensionistas);

 

Os empréstimos negativados podem salvar você de uma situação crítica ou afundá-lo ainda mais. Devido as altas taxas e juros é necessária muita pesquisa junto às instituições antes de fechar qualquer negócio, para ver qual oferece a melhor condição de pagamento que se adapte ao seu bolso e principalmente se planejar para que não caia em uma dívida maior ainda!

Uma dica é tentar a negociação das dívidas junto as empresas antes de pensar nos empréstimos negativados, pois a chance de parcelamento e desconto são maiores.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *